Samba em Berlim | Um Drinque Chamado “Samba em Berlim”

A chegada da “Coca Cola” no Brasil,
aconteceu na década de 42. Para a divulgação
daquele novo refrigerante, iniciaram
a distribuição nas escolas.



Lembro-me bem que traziam carretas carregadas,
pelo marketing do até então desconhecido refrigerante,
que ameaçava a liderança do nosso único
e tão saboroso “guaraná”. Por trás
desta distribuição gratuita, eles exibiam
filmes promocionais, mostrando
a força do refrigerante em todo o mundo.

Naquele momento, por certo, o Brasil
seria a nova porta de entrada,
de um grande mercado de consumo,
a América Latina. Forçavam então
os nossos professores a exibir o tal filme,
em troca da distribuição gratuita.



O filme publicitário contava todo o processo
de fabricação daquela bebida,
que nos era servida totalmente “quente”.
Daquela forma, quente, era uma “coisa horrível”
e isto se dava porque ainda não existiam as atuais
“super geladeiras” e os “freezers”.

Mas mesmo assim, diante daquela imposição
publicitária, a nossa infância tentou
ser resistente, àquele lançamento.
Éramos totalmente fiéis ao produto brasileiro,
que até hoje, ainda é um líder de mercado,
o nosso sempre maravilhoso “guaraná champanhe”.

Essa fidelidade , instintivamente, nos levava
a recusar a oferta do refrigerante.
Nossa repulsa natural, nos tornava agressivos,
quando recebíamos uma garrafa, ainda quente,
para fazermos uma prova. Simplesmente corríamos,
ao primeiro ralo de esgoto, e despejávamos
o conteúdo da garrafa e o classificávamos
de refrigerante de “sabor purgativo”.

Até hoje, eu não consigo entender,
como este refrigerante, conseguiu se firmar
aqui no Brasil! Eu afirmo, que não foi
por conta da minha geração, que ele
conquistou o nosso mercado consumidor.

Estou certo de que tudo fizemos, para evitar,
que este “xarope”, como chamavam, chegasse a liderar,
as nossas pesquisas de vendas. Para nós,
naquele tempo, ele era igual as pizzas.

Nunca me esqueço de que por ocasião
da Segunda Guerra mundial, o Exército Americano,
que já se utilizava da Coca Cola,
como o seu principal refrigerante,
para alimentação da sua tropa, e que também,
participava junto ao Brasil,
durante a campanha brasileira na guerra da Itália,
passou a distribui-lo aos soldados brasileiros.

Foi aí que nasceu o drinque chamado “Samba em Berlim”,
que nada mais era, uma criatividade dos nossos soldados,
que misturavam o refrigerante à velha “cachaça”,
sempre presente no farnel das mochilas dos nossos soldados,
por não suportarem o seu sabor amargo. Aquela mistura,
provocava uma reação qualquer e eles passavam
a ter dupla coragem. No decorrer da guerra,
começaram a ser citados pelas tropas aliadas,
como sendo os guerreiros de maior sangue frio,
em todas as batalhas, inclusive na de “Montese”.
Com isso o “samba em Berlim” ficou amplamente conhecido pelo mundo.

Texto de JORGE QUEIROZ DA SILVA
Fonte: http://blogdojorge3.blogspot.com.br/2009/04/samba-em-berlim.html

0