DISLIPIDEMIA

A dislipidemia é caracterizada
por uma elevação nas taxas de lípidios (gorduras)
na corrente sanguínea. O colesterol e os triglicerídeos
são exemplos dessa gordura que irão ocasionar uma série de doenças.
Além da origem genética a dislipidemia pode ser adquirida também
através de uma alimentação inadequada,
que apresente uma grande quantidade de gorduras e colesterol.

Estilo de vida sedentário, tabagismo e alcoolismo
também colaboram para o surgimento dessa doença.
Existem dois tipos de dislipidemia:
Dislipidemia primária:
origem genética, através da desorganização da síntese
e degradação de lipoproteínas Dislipidemia secundária:
originada através de medicamentos,
de algumas doenças ou até mesmo do alcoolismo
Sintomas Na maioria das vezes a dislipidemia é assintomática,
no entanto existem alguns sintomas
que podem auxiliar no diagnóstico da doença:
- Diferentes graus de perda de visão;
- Os sinais dermatológicos mais freqüentes são os xantomas
que consistem na acumulação de material
rico em colesterol em diversas partes do corpo.
Na dislipidemia destacam-se os xantomas tendinosos
(mais comum no tendão de Aquiles),
os tuberosos (que são nódulos cutâneos),
os planos (encontrados na superfície palmar) e
eruptivos (que são lesões agrupadas no dorso)

Causas da doença - Dieta rica em alimentos que contenham
um elevado teor de gorduras e colesterol;
- Disfunção hormonal que leva o organismo a produzir
altas taxas de triglicerídeos ou colesterol;
- Predisposição genética; - Doenças que alteram o metabolismo;
- Obesidade e sedentarismo; - Alcoolismo – que leva a um aumento nas taxas de triglicerídeos.

Diagnóstico da doença
A maioria das vezes os pacientes
não apresentam sintomas da doença, dessa forma o diagnóstico
é realizado através de exames laboratoriais.
Aspectos como qualidade de vida, antecedentes familiares
e uso freqüente de medicamentos devem ser levados
em consideração para a determinação do tipo de dislipidemia.

Prevenção da dislipidemia
- Aumentar o consumo de alimentos que contenham ômega 3
– semente de linhaça, sardinha, salmão, óleos de soja e canola;
pois eles auxiliam na redução dos níveis de
colesterol ruim (LDL) na corrente sanguínea
- Redução do consumo de gordura e de óleos de
dendê e coco que possuem altos níveis de colesterol;
- Aumento do consumo de fibras e vegetais,
pois eles reduzem o colesterol;
- Praticar atividade física regularmente
- além de evitar a obesidade, previne
a formação de placas de gordura.

Fonte: Internet.
Postar um comentário