HIPERTENSÃO ARTERIAL

A hipertensão arterial

é um dos principais fatores de risco
para as doenças cardiovasculares. Além disso,
pode provocar danos a outros
órgãos vitais do corpo humano como
cérebro, rins e olhos.
Apesar do seu mecanismo não ser ainda totalmente conhecido,
a evolução da hipertensão é bastante influenciada
pelo estilo de vida do paciente e pode ser alterada
pela adoção de hábitos mais saudáveis.

Já foi estabelecida a relação importante entre o consumo
de sódio (ou cloreto de sódio – sal de cozinha – fonte mais utilizada de sódio)
com a hipertensão. No corpo humano, o sódio age como uma esponja
retendo água nos tecidos, favorecendo a elevação da pressão arterial.
A dieta com baixo teor de sal é capaz de reduzir a pressão
na maioria das pessoas. Assim, recomenda-se a pacientes hipertensos
um consumo reduzido de sal. Porém, sabemos que o sal é encontrado naturalmente
em quase todos os alimentos que ingerimos, mesmo que o sal não seja adicionado
durante a preparação ou à mesa e ainda que não tenha sabor salgado.
Esta pequena quantidade de sal (aproximadamente 2 gramas) é importante
para suprir as necessidades diárias do organismo.

De acordo com o último consenso brasileiro sobre hipertensão,
pacientes adultos devem restringir a ingestão de sal a 6 gramas diárias,
o que equivale a menos de 3 colheres (rasas) de café.
Considerando que os alimentos já possuem cerca de 2 gramas,
o acréscimo de sal, como tempero, deverá
ficar restrito a 4 gramas ou 2 colheres (rasas) de café, por dia.

A terapia anti-hipertensiva combina com dieta, atividade física e remédios.
Acima de tudo, é importante que se tenha consciência
da necessidade de manter a pressão arterial sob controle,
seguindo sempre a orientação do seu médico e nutricionista.

Dicas para melhorar sua alimentação:
Prefira sempre alimentos naturais aos industrializados;
Retire o sal da mesa.
O consumo reduzido de sal é recomendável para toda família,
inclusive para crianças;
Tempere os vegetais e as carnes com sucos de frutas
(limão, laranja e abacaxi);
Use e abuse de ervas e especiarias naturais
(alho, cebola, cebolinha, salsinha, manjericão, louro,
orégano, coentro, alecrim, erva-doce, açafrão, hortelã, páprica e etc.);
Evite salgadinhos
(batata chips, castanha de caju, nozes e amêndoas salgadas,
pipoca, biscoito salgados e etc.);
Verifique o rótulo dos alimentos industrializados
e observe a presença e quantidade de sódio.
ATENÇÃO para as seguintes substâncias:
glutamato de sódio, fosfato dissódico, alginato de sódio,
benzoato de sódio, hidróxido de sódio,
nitrato de sódio, propionato de sódio e sulfito de sódio;
Opte por alimentos ricos em potássio e pobres em sódio como
feijão, ervilha, vegetais de cor verde-escuro, cenoura, beterraba,
tomate, banana, melão, laranja e frutas secas;
Evite alimentos enlatados e/ou embutidos, como
salames, salsichas, que em geral são ricos em sódio;
Evite os “fast-food” (sanduíches de hambúrguer, salsicha, pizzas e etc.)
que são em geral, ricos em sódio.
Um hambúrguer com batata frita e Milk shake
contém em média 2,5g de sal – quase a metade do que é recomendado por dia;
Alimentando-se fora de casa, lembre-se de solicitar que não adicionem sal
nas preparações do seu prato;
Algumas empresas aéreas oferecem refeições especiais
com baixa quantidade de sódio; Bala de alcaçuz é contra indicada,
pois possui, na sua formulação, uma substância (glicirrizina)
que provoca a retenção de sal no organismo.

DICAS PARA UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL:
Controle seu peso. A obesidade também eleva a pressão;
Não fume. O cigarro é um importante fator de risco
para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares;
Reduza a ingestão de bebidas alcoólicas
pois o excesso eleva a pressão arterial;
Pratique exercícios regularmente.
Caminhada ritmada de 30 a 40 minutos,
3 vezes por semana pode ser útil para recuperar a forma física.
Consulte seu médico, antes de iniciar qualquer programa
Utilize sua medicação regularmente,
conforme a orientação do seu médico.

Fonte: Internet.
Postar um comentário