Alho | As Origens do Alho

As origens do alho remontam a cerca de 6.000 anos,
ou até mais, se pensarmos na visão maometana de Satã
a ser expulso do Paraíso,
com cebolas a brotar da pegada
direita e alho da esquerda.



Em verdade, há imprecisão e controvérsias
na definição de sua origem,
que pode ter sido a Europa mediterrânea
ou o continente asiático.
A maioria dos estudos indica a Ásia
como local de origem do alho.
Julga-se que tenha surgido no deserto da Sibéria,
que tenha sido levado para o Egito
por tribos asiáticas nômades,
dali tenha seguido para o extremo oriente
através das rotas do comércio com a Índia,
e depois tenha chegado à Europa.



Para todas as culturas, seja a indiana, a egípcia, a grega,
a hebraica, a russa ou a chinesa, o alho era um elemento
quase tão importante quanto o sal.
O que ditou a diferença de importância
foi a rejeição pelas classes mais altas,
em razão do odor da planta.



Nos cultos de alguns deuses gregos
era vetada a entrada de pessoas recendendo a alho.
Mais tarde, continuaria rejeitado pela aristocracia e,
em alguns casos, pelo clero, o que fazia deste vegetal
um indicador de classe social.

Era entusiasticamente apreciado como alimento e medicamento
pelas massas, o que fez com que o escritor francês Raspail
o apelidasse de “cânfora dos pobres”,
esnobismo que se provaria equivocado ao longo do tempo.
Saiba mais sobre o alho.

Fonte: Tecnologia em Gastronomia Noções de Nutrição

Postar um comentário