Bouillabaisse | Prato da Culinária da Francesa.

Bouillabaisse é uma prato típico da culinária da França,
comum na região do Mediterrâneo, que consiste
de uma sopa ou guisado preparado
à base de peixes brancos sortidos,
filetes de peixe, vegetais e ervas aromáticas.

Imagem: foodtolove.com.au/recipes/fennel-seafood-bouillabaisse-13246

Trata-se, na verdade, de dois pratos: uma sopa, em que
se serve o caldo sobre fatias duras de pão de véspera;
e um prato de peixe e vegetais.

Uma das sopas mais famosas do mundo é a bouillabaisse,
originária de Marselha, cidade e porto do Mediterrâneo.
A história popular da origem dessa sopa sugere que Vênus,
deusa da beleza, serviu bouillabaisse a seu marido,
Vulcano, para colocá-lo para dormir
enquanto tinha um encontro amoroso com Marte.

Escritores gregos argumentam que, por volta do ano 600 A.C.,
os fundadores de Marselha levaram consigo da Grécia a receita
de uma sopa de peixe conhecida como kakavia,
que serviu de base para a futura bouillabaisse.
Saiba mais sobre Bouillabaisse
prato típico da culinária da França


Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Bouillabaisse

Qual é a origem do crepe?

Cozinha francesa.
O crepe, palavra que vem do francês crêpe,
derivada do latim crispus, que significa crespo,
é um tipo de panqueca feito a base
de farinha de trigo, leite e ovos.

Imagem: https://www.thespruceeats.com/basic-crepe-recipe-sweet-or-savory-995317

A massa é preparada de forma que possa formar
uma camada delgada no fundo duma frigideira apenas
pincelada com manteiga ou outra gordura.
O crepe é geralmente comido depois de enriquecido
com algum recheio, que pode ser doce ou salgado.
Os restaurantes que servem crepes
são normalmente chamados de creperias, ou Casa de Crepes.

Os crêpes são originários da Bretanha,
depois do trigo-mourisco ter sido introduzido
naquela região no século XII, e eram
primeiro chamadas “galettes”, que significa “bolos achatados”.

Os crêpes de farinha branca só apareceram no início do século XX,
quando a farinha de trigo se tornou acessível, assim como o açúcar;
estes crêpes são tão finos como as galettes de trigo-mourisco,
mas são mais macios, por serem
confecionados com ovos, leite e manteiga.
Na Bretanha, os crêpes e as galettes
são tradicionalmente servidas com sidra.
Saiba mais sobre o Crepe
tipo de panqueca feito a base
de farinha de trigo, leite e ovos.


Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cr%C3%AApe

Chicharrones | Cozinha Cubana

No Brasil é conhecido como torresmo.
São obtidas com a carne de porco frita
com a pele e cortada em cubos.

Imagem: https://www.youtube.com/watch?v=-grzmsG06yI


Esse prato é normalmente servido como acompanhamento.
É comum consumir o Chicharrones com *arroz congrí,
ou cozido junto com o arroz, também com banana frita,
carne, mandioca, entre outros alimentos.
É dos alimentos-base da gastronomia cubana.

*Arroz congrí: O congrís trata-se de arroz com feijão vermelho,
cozidos na mesma panela.

Fonte:
http://culinarianomundo.blogspot.com.br/2012/12/comidas-tipicas-cuba-pratos.html

Sorte | A Força que modela eventos.

A definição de sorte costuma variar
conforme o contexto emocional, filosófico,
religioso ou místico, de quem a interpreta.

Segundo o clássico dicionário Noah Webster,
Sorte é "uma Força sem propósito, imprevisível
e incontrolável, que modela eventos de forma favorável
ou não para determinado indivíduo, grupo ou causa".
Já o autor Max Gunther a define como evento ou série de eventos,
aparentemente fora de nosso controle, que influencia(m) nossas vidas.
Imagem: badulaquemix.com.br/atitudes-para-atrair-sorte-em-2014/


O conceito em torno da sorte é um quase-sinônimo de destino,
exibindo como principal diferença a divisão entre "boa sorte"
e "má sorte" (quando se fala em destino, essa divisão é inadmissível)
remetendo fatalmente, a um maniqueísmo mundano,
provavelmente controlado por forças sobrenaturais.

No entanto, imaginar que existe sorte é supor que existe
a possibilidade de alteração do destino, conforme determinadas
condições que geram os eventos (merecimento por exemplo)
já que destino é que é o sinônimo de fatalidade, programação
ou desígnio imposto por forças maiores, afetados
por nossa atuação direta ou indireta.
Saiba mais sobre a Sorte,
uma Força sem propósito, imprevisível
e incontrolável, que modela eventos de forma favorável
ou não para determinado indivíduo, grupo ou causa.


Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sorte

Foie gras | Iguaria da culinária francesa

O foie gras – termo que em francês significa "fígado gordo"
é o fígado de um pato ou ganso que foi super-alimentado.
Junto com as trufas, o foie gras é considerado
uma das maiores iguarias da culinária francesa.

Imagem: https://leitesculinaria.com/62442/recipes-pan-seared-foie-gras.html

Possui consistência amanteigada e sabor mais suave
em relação ao fígado normal de pato ou ganso.

Até o início do Século XXV a.C. é possível
que os antigos egípcios procurassem os fígados
engordados das aves migratórias como uma iguaria.
Eles rapidamente aprenderam que muitos pássaros
poderiam ser engordados através da superalimentação
e começaram a prática em gansos.

Na necrópole de Saqqara, a tumba de Mereruka,
um importante oficial real, contém um baixo relevo
de uma cena onde escravos apertavam o pescoço de gansos
para empurrar-lhes pelotas de comida goela abaixo.
Ao lado dos escravos havia pilhas com mais pelotas,
provavelmente feitas de grãos, e um frasco com água
para umedecê-las antes de dar aos gansos.
Saiba mais sobre Foie gras, uma Iguaria francesa

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Foie_gras

Açorda à alentejana | Culinária portuguesa.

Açorda à alentejana é uma sopa típica do Alentejo
que, ao contrário da maioria das sopas, não é cozinhada.
A receita de açorda não é universal, já que muda de zona
para zona e mesmo de família para família.

Imagem: pt.petitchef.com/receitas/acorda-a-alentejana-acorda-de-alho-ou-acorda-de-coentros-fid-1382778


A composição básica da açorda é alho, sal, azeite,
água em ebulição e pão fatiado, no entanto a esta mistura
acrescentam-se ervas aromáticas como o coentro ou o poejo (hortelãzinho)
e pode servir-se com peixe fresco (cozido ou frito),
bacalhau ou ovo (escalfado ou cozido).

O processo de confecção passa pelo pisar do sal com a erva
aromática e o alho, mistura à qual se acrescenta azeite.
Deita-se depois por cima a água onde se cozeu o acompanhamento,
ainda fervente, e deita-se pão alentejano fatiado.

A açorda à alentejana foi um dos candidatos finalistas
às 7 Maravilhas da Gastronomia portuguesa.

Fonte:
https://pt.wikipedia.org/wiki/A%C3%A7orda_%C3%A0_alentejana

Carne-seca | Jabá | Carne do Ceará

A carne-seca é uma das formas
mais antigas de conservação de alimentos
para os povos de caçadores e pastores nómadas.

Imagem: http://minhamarmitatem.com.br/como-fazer-carne-seca/

Tradicionalmente, seca-se carne de porco, vaca,
carneiro, rena, peru, cavalo, avestruz e camelo,
entre as espécies domesticadas,
para além de várias espécies de animais selvagens.

Existe evidência arqueológica de que
o homem-de-neandertal secava carne de mamute.

A forma mais simples de se conservar carne consiste
em cortá-la em pedaços que se possam colocar
num lugar onde o ar seco retire a umidade da carne,
mesmo sem qualquer espécie de cura; isto só é possível
em climas que tenham uma estação seca e fria,
como no norte da Europa, ou na Mongólia,

No Brasil, a carne-seca também é chamada carne do ceará, jabá.
São mantas de carne, em geral carne bovina, submetidas
a processo de salga, e empilhadas em lugares secos,
para desidratação e melhor conservação.
São muito consumidas em receitas de norte a sul do Brasil,
mas principalmente do Nordeste.
Saiba mais sobre a carne-seca

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Carne-seca