Pimenta Dioica | Pimenta-da-jamaica

Especiaria nativa da América Central e ilhas do Caribe.


Pimenta dioica
(popularmente conhecida como pimenta-da-jamaica)
é uma espécie de árvore que chega a medir
até 10 metros, da família das mirtáceas.


Foto: http://www.henriettes-herb.com/galleries/photos/p/pi/pimenta-dioica-2.html


Nativa da América Central e Caribe, sua madeira
é própria para o fabrico de bengalas, e a casca,
os frutos e as sementes são estimulantes, carminativos,
aromáticos e sucedâneos da pimenta-do-reino.
Também é conhecida pelos nomes
de murta-pimenta, pimenta e pimenta-de-coroa.

O seu sabor é bastante apreciado e lembra
a combinação de canela, noz-moscada e cravo-da-índia.
O interior dos frutos contém duas sementes que depois
de beneficiadas dão um sabor especial às conservas,
e servem para condimentação de carnes e mariscos.

A pimenta-da-jamaica branca é ideal para carnes brancas,
maioneses e molhos brancos, por ser mais suave.
A preta é indicada para carnes vermelhas.
A pimenta moída serve para aromatizar bolos,
biscoitos, pudins, carnes, sopas e molhos.
A Jamaica é o maior produtor com cerca de 70% da produção mundial.

Fonte:https://pt.wikipedia.org/wiki/Pimenta_dioica

Especiarias | Temperos (condimentos) usados na culinária

As especiarias são temperos (condimentos) usados
na culinária para proporcionar sabores diferentes nas comidas.


Algumas especiarias também eram, e ainda são, utilizadas
na fabricação de cosméticos, óleos e medicamentos.

As principais são: pimenta, gengibre, cravo, canela,
noz moscada, açafrão, cardamomo e ervas aromáticas.

Foto: http://www.lilori.com.br/liloripedia/especiarias-0


Na época das Grandes Navegações e Descobrimentos
Marítimos (séculos XV e XVI) eram muito
valorizadas na Europa, pois não podiam ser
cultivadas neste continente em função do clima.
O surgimento e crescimento da burguesia também aumentou
a demanda por produtos considerados de luxo
na época, como, por exemplo, as especiarias.
Saiba mais sobre as Especiarias
Temperos (condimentos) usados na culinária.


Fonte: http://www.suapesquisa.com/o_que_e/especiarias.htm

Ervas aromáticas | Ervas aromáticas usadas na culinária.

Um jardim aromático é o orgulho de qualquer jardineiro
que, para além de desfrutar de uma horta verde e vibrante,

beneficia ainda dos seus poderes olfativos e de
sabores frescos, a utilizar na cozinha… diretamente da terra.


Foto: http://www.oblogdohamburguer.pt/ervas-aromaticas-aquele-toque-especial/


Existem dezenas de ervas aromáticas que podem ser cultivadas,
algumas mais tradicionais do que outras
– estas são das mais populares.
Saiba mais sobre as Ervas aromáticas
Top 10 ervas aromáticas


Fonte:
http://omeujardim.com/artigos/top-10-ervas-aromaticas

Coentro | Especiaria Originária do Mediterrâneo e Oriente Médio

O coentro já era conhecido e utilizado pelos egípcios,

não como tempero, mas como planta medicinal
(a ele se atribuíam propriedades digestivas, calmantes e,
quando usado externamente, para alívio
de dores das articulações e reumatismos),
além de possuir efeito anafrodisíaco.


Foto: http://www.sakata.com.br/produtos/hortalicas/macarias/coentro


O coentro é muito utilizado na culinária
brasileira nordestina e também na região Norte.
Em Portugal, é muito utilizado, por exemplo,
na cozinha alentejana e noutras regiões do sul do País.
No norte, é praticamente ignorado.

O Coentro foi trazido para o Brasil através
dos escravos africanos, após a abolição da escravatura.
O Coentro é uma erva que se utiliza como
especiaria e que conta com numerosas
propriedades benéficas para a saúde humana.
Usam-se tanto as suas folhas como as suas sementes
e em algumas ocasiões inclusive confunde-se com a salsa.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Coentro
http://www.saudedica.com.br/10-beneficios-coentro-saude/

Noz-moscada | Especiaria originária da Indonésia

Até meados do século XIX a única fonte mundial de noz-moscada
eram as pequenas ilhas Banda nas Molucas, Indonésia.


Utilizada desde o tempo dos romanos, a noz-moscada
era uma das mais valorizadas especiarias na Idade Média,
utilizada em noz e em *macis como tempero
e conservante na culinária e na medicina.

Foto: http://temperaria.com.br/serie-temperos-noz-moscada/


Vendida por mercadores árabes à República de Gênova
era distribuída na Europa a preços exorbitantes.
Como os mercadores nunca divulgavam a localização exata
da sua fonte, nenhum europeu conseguia deduzir a sua origem.

Em nome do Rei de Portugal, em agosto de 1511 Afonso de Albuquerque
conquistou Malaca, que era ao tempo o centro do comércio asiático.
Conseguindo obter a localização das ilhas Banda,
enviou uma expedição de três navios comandados
pelo seu amigo de confiança António de Abreu para as encontrar.

Pilotos malaios guiaram os portugueses via Java
até Banda, onde chegaram no início de 1512.
Sendo os primeiros europeus a chegar às ilhas, aí permaneceram
durante cerca de um mês, comprando e enchendo
os seus navios com noz-moscada e cravinho.
Mais tarde a noz-moscada e o macis seriam negociados
também pelos holandeses, passando depois a ser cultivada
na Índia, na Malásia, nas Caraíbas e noutras regiões.

*Macis: é a casca da semente da noz-moscada.
Para extrair o macis, é necessário
deixar secar o fruto da moscadeira, a noz-moscada,
durante alguns meses. Após esse período, a casca
separa-se do fruto, sendo possível extrair o macis,
que em seguida também é deixado a secar, para poder ser prensado.
O produto final obtido possui uma cor avermelhada.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Noz-moscada

Pimenta-do-reino | Pimenta-preta | Especiaria originária da Índia

A Pimenta do Reino ou Pimenta preta
é o tempero mais popular do mundo.


A pimenta-do-reino, é uma
das mais antigas especiarias conhecidas.

Os seus grãos, secos e moídos, são
muito usados na culinária de diversos países.
Tem um sabor forte, levemente picante,
proveniente de um composto químico chamado piperina.

Foto: http://www.bolsademulher.com/medicina-alternativa/909/poder-de-cura-da-pimenta-do-reino


O comércio da pimenta-preta era bastante ativo
no subcontinente indiano, de onde era trazido
por mercadores muçulmanos para o Ocidente, onde
era distribuída por genoveses e venezianos.

Historicamente o seu valor chegava a ser tão alto
que ela foi utilizada como moeda: conta-se que Alarico I,
o Visigodo
exigiu de Roma um resgate de ouro, prata e pimenta.
A busca por essa especiaria, utilizada e valorizada
desde tempos imemoriais, foi uma das principais causas da expansão
– e apogeu – do império português no Oriente.
Um quintal de grãos de pimenta (60 kg)
chegou a valer, à época, 52 gramas de ouro.

OBS: Era chamada de pimenta de Portugal durante o período colonial.
Depois da colonização, no Brasil passou a se chamar
pimenta do reino, pois vinha de Portugal e logo do reino.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pimenta-preta
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/noticias/?p=159551

Repolho | Benefícios do repolho

O repolho é muito conhecido na culinária popular
e em muitas culturas, pois além de ser
grande e saudável, é relativamente barato.

.

Confira abaixo os benefícios e propriedades desse alimento
que pode ser preparado refogado, na forma
de saladas ou como complemento de pratos como sopas.


Foto: http://lar-natural.com.br/os-beneficios-do-repolho/


Fonte de vitamina C e antioxidantes, o repolho deve
fazer parte do cardápio de todas as pessoas, pois é rico
em fibras, potássio, folato e betacaroteno.
O repolho roxo contém ainda antocianinas, as mesmas
presentes nas uvas, que são eficazes na proteção do coração.
Além disso, auxilia no fortalecimento do
sistema imunológico e favorece a pele saudável.

O de coloração verde é mais rico na vitamina A do que
o roxo, sendo melhor para a proteção da visão e da pele.
Saiba mais sobre o repolho
benefícios e propriedades.


Fonte:
http://www.remedio-caseiro.com/repolho-beneficios-e-propriedades/

Anis | Erva-doce | Vegetal oriundo do Oriente Médio

Originária do Oriente Médio,
o anis vem sendo cultivado no Egito, na Ásia menor
e nas ilhas gregas há mais de mil anos.
Quando o Império Romano absorveu a cultura grega,
também passou a cultivá-lo, estendendo-o
às costas do Mediterrâneo, à França e à Inglaterra.

O anis ou erva-doce é uma planta.
É popularmente chamada de erva-doce.


A sua fruta em forma de semente
é usada em confeitaria e em licor.


A fruta consiste em dois pistilos unidos e tem
um sabor aromático forte e um odor poderoso.
A semente de anis também é usada em alguns
caris e pratos com frutos do mar, contra o
mau hálito e como ajudante digestivo.

Foto: http://chefrotisseur.blogspot.com.br/2013/04/anis-o-pimpinella-anisum.html


Todas as partes que ficam acima do solo de uma
planta jovem de anis também são comidas como vegetal.
Os caules se parecem com os do aipo na textura
e são mais suave no sabor do que os frutos.

Por destilação, da fruta extrai-se um óleo volátil de anis,
o qual é útil no tratamento de flatulência e cólicas infantis.

As frutas de anis são aproveitadas pela
indústria de bebidas que elaboram
licores com esta essência.
No setor de padarias e confeitarias
essas frutas são utilizadas
como decorativas, por conter um sabor
intenso e um perfume característico.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Anis
http://ci-67.ciagri.usp.br/pm/ver_1pl.asp?f_cod=10
http://www.infoescola.com/plantas/anis-erva-doce/

Garam Masala | Culinária indiana

Possui um sabor diferenciado e forte
agradando aos mais diversos paladares.


Garam masala é uma mistura de especiarias moídas
muito comum na culinária da Índia, sendo também
encontrada nas culinárias de outros países do sul da Ásia.


Foto: http://www.dicasdocheff.com.br/categoria/preparo-e-coccao/temperos/


Pode ser usado simples ou em conjunto com outros temperos.
O garam masala é forte, mas não picante como uma pimenta malagueta.

A composição do garam masala varia de região
para região, havendo uma grande variedade por toda a Índia.
Alguns dos ingredientes mais comuns são grãos de pimenta
preta e branca, cravinho, louro, cominho preto,
sementes de cominho, canela, cardamomo preto, castanho
e verde, noz-moscada, anis e sementes de coentro.

São usadas diversas combinações destes ingredientes nas
variações regionais do garam masala, não sendo
nenhuma delas considerada mais autêntica que a outra.
Saiba mais sobre Garam masala
uma mistura de especiarias moídas
muito comum na culinária da Índia.


Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Garam_masala

Tofu | Queijo feito à base de soja

Tofu (豆腐) é um alimento produzido a partir da soja.

Tem uma textura firme parecida com a do queijo,
sabor delicado, cor branca cremosa e
apresenta-se sob a forma de um cubo branco.

É originário da China, mas muito comum também
na alimentação japonesa e coreana. O processo de
fabricação a partir do leite de soja, é muito similar
ao do queijo fabricado a partir de leite,
tendo também a mesma consistência.

Foto: http://www.andrezzabotelho.com.br/creme-de-tofu-com-gergelim/


É por isso também conhecido por queijo de soja.
Tem um sabor suave, e por isso é
geralmente usado em receitas relativamente simples.
Na culinária asiática o tofu é usado em todo
o tipo de receitas, tanto doces como salgadas.

Pode ser comido cru, frito,
cozido em sopas ou em molhos,
cozido a vapor, recheado com diferentes ingredientes,
ou fermentado como pickles, etc. Nutricionalmente
tem um conteúdo proteico muito rico e por isso
é usado no ocidente como substituto
da carne por vegetarianos.
Os coagulantes mais utilizados
são cloreto de magnésio e nigari.

É possível também coagular a proteína de soja com limão
ou vinagre, mas estes alteram o sabor do tofu,
além de não serem tão eficazes.
Outra possibilidade é o cloreto de cálcio.
Saiba mais sobre o Tofu
Queijo feito à base de soja


Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tofu

Yakibifum | Culinária oriental

Yakibifun é muito popular na culinária oriental,

frequentemente utilizado para fazer pratos quentes e frios.

Foto: http://cozinhaecultura.blogspot.com.br/2011/04/yakibifum.html


É basicamente uma espécie de macarrão feito com arroz.
Uma massa fina, leve e de fácil cozimento, originária da China.

É uma espécie de variação do yakisoba. Utiliza um tipo
de macarrão diferente, o bifum (macarrão de arroz)
Saiba mais sobre o Yakibifun
prato muito popular na culinária oriental.


Poori | Puri | Cozinha indiana

Pão frito indiano.
É geralmente servido com caril ou Pasteis.

Foto: http://www.tripadvisor.com/LocationPhotoDirectLink-g189180-d7202733-i119648225-Bay_of_Bombay-Porto_Porto_District_Northern_Portugal.html

O Puri é preparado com farinha de trigo.
Em algumas receitas, sementes de cominhos
também são adicionados à massa.


A massa de farinha e sal é lançada
em um pequeno círculo e desenrolado e cortado
em pequenos círculos e frito em óleo vegetal. Enquanto fritar,
ele incha como uma bola redonda, porque a umidade na massa
se ​​transforma em vapor, que se expande em todas as direções.

Quando fica com a cor castanho-dourado, ele é removido e
pode ser servido quente ou guardado para uso posterior.

O puri poderá ser furado com um garfo antes de fritar,
porém, o puri perfurada não se espande quando cozido,
porque o vapor escapa enquanto cozinha.
Saiba mais sobre o Poori
pão frito indiano
.

Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Puri_(food)

Ponte Móvel | Prótese parcial removível

Aparelho protético que substitui os dentes perdidos

em arcadas onde ainda permanecem alguns dentes naturais,
portanto, pacientes com perda parcial de dentes.

Foto: http://www.istoe.com.br/assuntos/semana/detalhe/91850_LEILOADA+A+PONTE+MOVEL+DE+WINSTON+CHURCHILL

chamada de removível porque pode ser
retirada pelo paciente no momento que desejar.

Popularmente chamada de ponte móvel, são próteses
retidas a grampos 'semiflexíveis' metálicos apoiados
em dentes naturais e por um perfeito assentamento
do aparelho sobre a gengiva das áreas desdentadas.

Quando a estética é prejudicada ou existe uma necessidade
estética maior ou seja, ela é fundamental, existem os aparelhos
removíveis adaptados através de encaixes (attachments) e
frezagens executados em coroas protéticas cimentadas sobre
alguns dentes naturais remanescentes; neste caso
as técnicas clínicas e laboratoriais são mais sofisticadas.
Saiba mais sobre Ponte Móvel (Prótese parcial removível).

Fonte: http://www.dentistasp.com.br/orientacoes/?idpub=73

katupa | Culinária do Timor-Leste

Espécie de bolinho de arroz com
leite de coco embrulhado em folhas de palmeira.


Foto: https://www.travelblog.org/Photos/7674493

Katupa é um prato timorense
feito com arroz(o arroz é cozido no leite de coco)
com tempero de cebola, sal e pimenta
embrulhados em folhas de coqueiro e cozido
com leite de coco e extrato de cúrcuma (açafrão-da-terra).


Katupa pode ser servido com peixe grelhado
ou frango assado em algumas ocasiões tradicionais.
A população local também vende pelas ruas
Katupa com peixe grelhado ou lulas grelhadas.