Chapeuzinho Vermelho | Análise de Bruno Bettelheim

Análise de Chapeuzinho Vermelho por Bruno Bettelheim

De acordo com Bruno Bettelheim, a versão de “Chapeuzinho Vermelho”
escrita pelos Irmãos Grimm tem – entrelinhas – um apelo e caráter psicológico.
Este, muitas vezes, não identificado por um adulto, porém, normalmente,
fácil de ser internalizado por uma criança.
Imagem: https://www.youtube.com/watch?v=k8WImcqa64Q
No decorrer do conto é identificado um paradoxo, o da menina pré-adolescente
que consegue assimilar as instruções da mãe a seguir pela estrada e
sem sair desta, todavia, é facilmente convencida pelo lobo a optar
por outro caminho, no qual ele sugere que ela observe as flores e ouça
o canto dos pássaros (mesmo com a indicação contrária da mãe).

Quando a menina sai para levar a cesta com doces e vinho para a avó,
“Chapeuzinho deixa o lar voluntariamente. Não teme o mundo externo,
e sim reconhece sua beleza, e aí está o perigo. Se o mundo fora do lar
e do dever se torna atraente demais, poderá acontecer uma volta a um
comportamento baseado no princípio do prazer”.
Saiba mais sobre a
Análise de Chapeuzinho Vermelho por Bruno Bettelheim.

Fonte:
http://www.infoescola.com/literatura/analise-de-chapeuzinho-vermelho-por-bruno-bettelheim/

Postar um comentário