Lúcuma | Fruta exótica originária dos vales andinos do Peru.

A lúcuma é uma árvore originária dos vales andinos do Peru.
É cultivada por seu fruto, empregado na gastronomia,
sobretudo na confecção de sobremesas e sorvetes.


Imagem: http://www.saudedica.com.br/os-15-beneficios-da-lucuma-para-saude/

O fruto é consumido já muito maduro,
vários dias depois de sua queda;
deve ser conservada envolta em palha ou material similar
durante este período. Tem um sabor
que lembra o *xarope de bordo,
e é utilizada cozida em doces, tortas,
sorvetes, e outras sobremesas.
Seu consumo fresca é mais raro devido
a seu peculiar ressaibo(mau sabor; ranço.),
que é entretanto menos perceptível
nos cultivares de maior qualidade.

Por seu alto conteúdo de amido,
a polpa pode ser secada para conservação;
rende uma farinha não perecível,
muito doce e nutritiva, que concentra o ferro,
o betacaroteno e a niacina contidos na fruta.
Pode também ser congelada por períodos prolongados.

Saiba mais sobre a Lúcuma
Fruta exótica originária dos vales andinos do Peru


*xarope de bordo: bordo é uma árvore da América do Norte,
cheia de seiva rica e doce,
usada há milênios pelos nativos
tanto como adoçante quanto como remédio.
O xarope de bordo é um preparado com a seiva
- líquido que escorre de dentro da árvore

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%BAcuma

Huitlacoche | Uma delícia de “praga”

O que é o huitlacoche,
o milho 'estragado' tão apreciado pelos mexicanos.

O sabor defumado e adocicado do fungo do milho
chamado huitlacoche, ou ferrugem do milho,
é apreciado no México desde os tempos antigos.
Em outros países ele é considerado uma iguaria,
sendo chamado por alguns de trufa mexicana.

Imagem: http://www.mexicoguru.com/articles/huitlacoche.php

O fungo responsável pela formação do huitlacoche é o Ustilago maydis.
Ele ataca em menor ou maior grau quase toda a plantação de milho
da variedade Zea mays, sobretudo em regiões de clima quente
e moderadamente seco. Ao examinarem amostras desse fungo, pesquisadores
encontraram “três a quatro aminoácidos responsáveis pelo sabor umami*”.

O huitlacoche tem um sabor adocicado porque é mais rico em carboidratos
do que os outros tipos de cogumelos comestíveis. Descobriu-se também que
essa iguaria possui inúmeros compostos aromáticos, inclusive a vanilina.
E embora seja apreciada principalmente por causa do sabor,
o valor nutricional dessa iguaria não deve ser desprezado,
pois contém vitamina C, fósforo, cálcio e outros nutrientes.
Saiba mais sobre Huitlacoche
Uma delícia de “praga”


* Umami é uma palavra usada no Japão para descrever
o que alguns chamam de quinto sabor, depois dos
quatro principais: doce, salgado, azedo e amargo.

Fonte: https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/102001886
http://www.bbc.com/portuguese/geral-39329174

Revolta da Cachaça | Revolta do Barbalho ou Bernarda.

Revolta da Cachaça é o nome pelo qual passou à História do Brasil
o episódio ocorrido entre final de 1660 e começo do ano seguinte,
no Rio de Janeiro, motivado pelo aumento de impostos
excessivamente cobrados aos fabricantes de aguardente.
Também é chamada de Revolta do Barbalho ou Bernarda.

Imagem: http://www.historia.uff.br/impressoesrebeldes/?revoltas_categoria=1660-revolta-da-cachaca-rio-de-janeiro

Para evitar concorrência do monopólio português de vinho e aguardente,
em 1647 cria-se a Carta Régia que impedia a comercialização
destes produtos fora do domínio português. Entretanto,
o documento abria exceção à produção de cana-de-açúcar
no estado do Pernambuco, onde o aguardente
era comercializado pelos escravos.

Após a expulsão definitiva dos holandeses, em 1654,
a produção açucareira teve uma brusca queda. Os fazendeiros, então,
decidiram explorar a cana produzida no Nordeste, o que contrariava
os interesses dos portugueses em obrigar a importação de uma bebida
criada com os bagaços da uva (bagaceira).
Em 1659, Portugal endossou a proibição da cana e ameaçou deportar
e prender escravos e fazendeiros que não cumprissem suas exigências.

No Rio de Janeiro, o governador Salvador Correia de Sá permitiu
a comercialização da cana, já que o estado era um dos maiores produtores de cachaça.
Entretanto, decidiu cobrar imposto sobre a produção. Em 31 de janeiro de 1660,
os vereadores aprovaram o projeto de lei, usando-a como alternativa econômica
para a crise do açúcar que se instalara.

Porém, os fazendeiros continuavam insatisfeitos. Acharam que a Coroa queria obter
uma grande margem de lucro com os tributos e organizaram um motim
na região da Baía de Guanabara, onde hoje situam-se as cidades de Niterói e São Gonçalo.
Saiba mais sobre a Revolta da Cachaça.

Fonte:
http://www.infoescola.com/historia-do-brasil/revolta-da-cachaca/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Revolta_da_Cacha%C3%A7a